30/12/2009

AUMENTO EM ITABORAÍ


Aumento em Itaboraí



Após oito anos sem aumento de salário, os professores da rede municipal de Itaboraí vão receber, a partir do dia 1º de janeiro, reajuste de 10% em seus vencimentos. Os docentes da rede municipal recebem até R$ 930 (dois salários mínimos), mas o objetivo é igualar o valor ao piso de Niterói, que chega a R$ 1.408,85. "A proposta é pagar o melhor salário de toda a região. O profissional de Educação tem que ser bem remunerado, para se ter qualidade no ensino", disse a secretária de Educação e Cultura de Itaboraí, Rosana Rosa.





27/12/2009

COLÉGIO PEDRO II CADASTRA PROFESSORES



O Colégio Pedro II abriu concurso para o cadastramento de professores (nível superior) para lecionar nas disciplinas de Artes Visuais, Ciência da Computação, Desenho, Física, Francês, Matemática e Química. Os salários variam de R$2.124,20 a R$3.542,75, de acordo com o grau de titulação. As inscrições vão de 4 a 15 de janeiro de 2010. Os aprovados poderão ser convocados durante o prazo de validade de dois anos, prorrogável por igual período. Para se inscrever, é preciso preencher o formulário no site da *instituição**. Quem não dispõe de acesso à internet pode fazer a inscrição no posto com computadores, nos dias úteis, das 10h às 17h, localizado no Campo de São Cristóvão, 177, São Cristóvão - Rio de Janeiro. A taxa de R$20 deve ser paga em qualquer agência do Banco do Brasil, até o último dia de inscrição.


LEIA MAIS E CONSULTE O EDITAL AQUI




22/12/2009

Por favor, aceitem um precioso presente do povo palestino: Sua Arte !



Comitê de Solidariedade à Luta do Povo Palestino/RJ  

  vivaintifada@gmail.com 



Em nome do povo palestino nos confraternizamos com todos os militantes internacionalistas, com  todas as entidades e partidos políticos que durante esses longos e tenebrosos anos de ocupação fascista estiveram firmes na defesa intransigente da causa palestina!  O povo palestino agradeçe sua solidariedade!

Lembrar que se nossa luta se mantém com a mesma firmeza que a caracterizou como símbolo de resistência de uma época,  é por que temos a sua solidariedade, sua amizade, sua simpatia e sua parceria.

É assim , por que nosso inimigo é o mesmo inimigo que combates no campo, na luta sindical, nas favelas, no movimento estudantil: É o sionismo que se veste de mil formas e uniformes e fala mil línguas, é  dono do capital, dos exércitos, das armas, da mídia, das guerras e dos extermínios étnicos e sociais.

No dia 27 de dezembro fará 1 ano que a Palestina foi criminosamente bombardeada, onde foram assassinados mais de 1.400 pessoas, maioria de mulheres e crianças; cujo rastro contabiliza mais de 5.000 feridos gravemente e uma cidade inteira destruída..... GAZA. Atualmente, a população sofre os horrores de um bloqueio econômico criminoso, que transforma a cidade no maior campo de concentração produzido por um estado fascista.

Na Cisjordânia, o estado judeu expulsa  as famílias árabes de suas casas e no lugar constrói colônias  para os novos colonos judeus que chegam nos territórios ocupados, trazidos  de toda parte do mundo com a promessa de terra, casa e ajuda do governo israelense. Bairros inteiros estão sendo destruídos, palestinos assassinados ou presos para dá lugar a colonias judias.   

Contra tudo isso a solidariedade mundial está construindo uma grande marcha juntamente com o povo de Gaza. A concentração será no Cairo , e no dia 31 de dezembro a Marcha de Liberdade para Gaza será recebido pelos palestinos da cidade.

(Um companheiro do Comitê irá representar os brasileiros na Grande Marcha de Liberdade para Gaza, com a ajuda do Sindicato dos Petroleiros.)

Finalmente, desejamos a todos boas festas e um ano repleto de bons e vitoriosos combates!

A LUTA CONTINUA...

Por favor, aceitem um precioso presente do povo palestino: Sua Arte!!!!!!
São obras de artes do pintor palestino Ismail Shammout.



E abaixo um pequeno vídeo (3min e 55s), muito bem produzido, sobre Gaza, com uma bela canção ao fundo.

GAZA







  





21/12/2009

Campo Grande e Pavuna no pódio das melhores escolas do Rio


Nas unidades que se destacaram em 2009 na rede municipal do Rio, média de alunos foi de até 96. Diretora vai à casa de quem falta muito

Rio - Uma estratégia de ensino repleta de contos, poesias, equações e fórmulas levou os alunos da Escola Municipal Ministro Alcides Carneiro, em Campo Grande, ao lugar mais alto do pódio. Por duas semanas, os alunos experimentaram uma maratona de leitura e solução de questões matemáticas como preparatório para o provão do 4º bimestre da rede pública. O resultado foi campeão: 1º lugar entre os 341 colégios do 6º ao 9º ano em 2009. Do 3º ao 5º, brilhou o Ciep Glauber Rocha, na Pavuna. O ranking foi divulgado ontem pela Secretaria Municipal de Educação.

“Com o fim da aprovação automática, o processo de avaliação ficou mais justo, e partimos do princípio de que todo professor tem de ir até aonde o aluno está. Por isso visitamos as casas dos alunos que apresentaram queda no rendimento ou que começaram a faltar sem explicação”, explicou a diretora Janete Jane Braga Castilho Corval. “Usamos os módulos de estudo de todas as disciplinas dos quatro bimestres, fizemos reuniões com os pais e alfabetizamos os analfabetos funcionais”, orgulha-se a diretora, que fez curso de capacitação em Matemática e deu aulas de reforço na Escola Cora Coralina, na Favela da Carobinha, em Campo Grande.

Muito orgulhosa também estava a amazonense de Manaus Simone Freitas Neponuceno Campos, 14 anos, a formanda do 9º ano: “Passei para a segunda fase das provas do Cefet, Fiocruz e Colégio Técnico da Rural, com a base que recebi aqui. Adoro Química e Biologia”. Na solenidade de formatura, ontem, os 260 alunos do 9º ano receberam exemplar do livro ‘A Invenção de Hugo Cabret’, de Brian Selznick, presente da secretaria em reconhecimento pelo bom desempenho no provão.

Ontem, a ex- aluna Hozana dos Reis Alcântara, 16, voltou à escola Alcides Carneiro para buscar a autorização para sacar o Bônus de Mérito Escolar de R$ 1.860: “Vou fazer uma boa poupança, comprar umas coisinhas e cuidar do meu futuro, investindo em cursos técnicos”. Para cada avaliação MB (Muito Bom) nos provões bimestrais, os alunos do 8º e 9º anos acumulam R$ 465, resgatados 12 meses após o fim do Ensino Fundamental. Jaqueline de Araújo Silva, 14, espera repetir o sucesso de Hozana. “Estou de olho no Bônus de Mérito, afinal estou acumulando boas notas para isso”, revelou ela, que brilhou com notas máximas em Português e Matemática.


Entre os 1.260 alunos da Alcides Carneiro, 24 são da Escola Especial e 110 do Ensino de Jovens Adultos (EJA). Entre os 1.126 restantes, 62 ou 4,9% do total ficaram em recuperação. O índice está bem abaixo dos 12,69% de toda a rede municipal que terão que enfrenta essa última chance para não repetir de ano. Essa unidade está entre as com menos alunos reprovados, apenas 51, ou 4,1%. “A sala de leitura foi o local mais usado para o sucesso nas provas de Português”, completou Manuel Castilho, professor de História. No mural da secretaria, um verso da canção ‘Caminhando’, de Geraldo Vandré, resume o sucesso da escola: “Quem sabe faz a hora não espera acontecer”.

Colégio estimula gosto pela leitura

Na sala de leitura da Escola Alcides Carneiro, os alunos ficam ‘íntimos’ do estilo de autores consagrados, como Cecília Meirelles, Machado de Assis, Guimarães Rosa, Manuel Bandeira, Euclides da Cunha, Monteiro Lobato, Vinicius de Moraes, Patativa do Assaré e Carlos Heitor Cony. Outra receita de sucesso da unidade são as aulas de química em laboratório.

Você está satisfeita com a qualidade da escola pública onde seu filho estuda?

Mãe de Christian, 11, aluno do 6º ano, Amanda Cunha do Nascimento, 27, se surpreendeu com o interesse crescente dele por livros de contos e poesia crescer: “Vim para Campo Grande e matriculei meu filho onde tive boas referências, mas não sabia que iria encontrar uma escola tão organizada e moderna”.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação , a escola campeã do 6º ao 9º ano ocupava o 10º lugar no provão do 3º bimestre. Em Português, o desempenho dos alunos subiu de 64,6% de acertos para 80,7%. Em Matemática, o salto foi de 58,4% para 75,9%.

Questões com mais erros eram repetidas

A correção das provas do quarto bimestre revelou que as questões que os alunos mais erraram foram justamente as que tinham sido repetidas da avaliação anterior. O uso de perguntas iguais chegou a ser questionado pelo Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), que não concordou com a metodologia e chegou a procurar o Ministério Público.

No 6º ano, apenas de 27,3% dos alunos conseguiram responder a uma questão de Matemática que já havia sido dada em avaliação e que tratava de problemas com números naturais. No 7º ano — em que 67% das perguntas da disciplina eram repetidas — , num item sobre fração apenas 18,4% dos estudantes conseguiram acertar, mesmo se tratando de conteúdo já ensinado: até o enunciado e resposta eram os mesmos. No 9º ano, na prova de Português, uma questão que exigia comparação entre textos, também repetida, foi a que teve pior desempenho nas turmas.

Reportagem de Christina Nascimento e Ricardo Albuquerque

FONTE  O DIA



18/12/2009

TRISTE REALIDADE NA EDUCAÇÃO



Por dia, 18 professores abandonam sala de aula

Só este ano, 4.543 mestres deixaram a rede estadual de ensino. Secretaria de Educação afirma que contratação de 6 mil até o início do próximo ano letivo vai cobrir o déficit

POR JOÃO NOÉ


Rio - Baixos salários e condições inadequadas de trabalho são dois dos principais motivos apontados pelo Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) para a saída de 4.543 professores da rede estadual em 2009. O número, obtido a partir de pesquisa do sindicato, mostra que média de 18,7 professores deixou o Estado por dia útil neste ano. Há 12 anos, segundo o Sepe, essa média era de 15,1.

O levantamento, realizado com dados do Diário Oficial, apontou que, de janeiro a novembro deste ano, 1.540 professores foram exonerados (destituídos do cargo), 2.972 se aposentaram e 31 foram demitidos (deixaram de ser servidores). Diretor do Sepe, Tarcísio Motta afirma que a situação dos professores do estado está longe do ideal. “Muitos deixam o cargo porque estão insatisfeitos com o trabalho. As condições e os salários são bem ruins para eles”, reclama.

Já a Secretaria Estadual de Educação afirma que a saída de tantos mestres se deve à melhora no procedimento de concessão de aposentadoria. Os números da secretaria indicam que, em 2009, 4.249 professores deixaram a rede: 2.451 se aposentaram, 519 faleceram, 169 foram demitidos e 1.100 foram exonerados. “Atualmente, a aposentadoria é resolvida em 15 dias. Assim, o número aumenta”, explica Marcus Medina, superintendente de Gestão de Pessoas.


Ele ainda ressalta que 6 mil professores serão contratados depois de um concurso a ser realizado em janeiro. A Secretaria de Educação afirma que eles estarão em sala de aula no início do ano letivo de 2010. Outros 4 mil aprovados farão parte de cadastro de reserva.

ESCOLA MUNICIPAL NÃO PODE LIBERAR ALUNO SEM AULA

O prefeito Eduardo Paes sancionou o Projeto de Lei 177, de autoria do vereador Tio Carlos, que obriga as escolas da rede municipal de ensino a não liberar os alunos em caso de falta de professores. O texto da Lei 5.126 e a sanção de Paes foram publicados na edição de ontem do Diário Oficial do município.

A regra ainda prevê que, ao permanecerem nas escolas, os alunos recebam “atividades complementares de ensino”. Para justificar o projeto, o vereador argumenta que, por não terem dinheiro, muitos alunos precisam ir ao colégio para se alimentar. Além disso, a permanência no estabelecimento diminui o risco de os jovens terem contato com a criminalidade.

Na Alerj, os deputados aprovaram ontem o Plano Estadual de Educação. O documento estabelece para o governo metas como o aumento de salário de professores, além de construção de novas escolas e a ampliação do horário escolar para integral.

VISITE NOSSA COMUNIDADE AQUI


FONTE O DIA 



15/12/2009

ANALFABETO POLÍTICO

O ANALFABETO POLÍTICO



O pior analfabeto é o analfabeto político.

Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.



O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo.

Bertold Brecht



12/12/2009

Alunos tentam matar professora em São Gonçalo


Uma professora de Língua Portuguesa sofreu um atentado à bomba, na última terça-feira, durante aplicação de provas no Vila Três, em São Gonçalo. A suspeita é de que alunos da 5ª série do Ensino Fundamental, revoltados por terem ficado em recuperação, teriam colocado o explosivo caseiro na bolsa da professora. A direção da escola frisou que não reconhece os autores do atentado como alunos, mas sim bandidos, acrescentando que foi praticado terrorismo com a classe docente e ameaçou acabar com o turno noturno, caso os responsáveis não sejam denunciados.



O caso aconteceu na Escola Estadual Desembargador Ferreira Pinto, às 19h30 de terça-feira. A explosão do artefato incendiou a roupa e a bolsa da professora, queimou seu braço esquerdo e a deixou com debilidade na audição. Os relatos dão conta de que um grupo de alunos da 5ª série teria distraído a vítima, enquanto outro colocava a bomba dentro da bolsa da vítima.



Segundo um perito-legista do Instituto Médico-Legal (IML), a professora foi salva pelo excesso de materiais didáticos que carregava: a bolsa estava repleta de diários de aula e provas, que ainda seriam aplicadas, o que sufocou o explosivo, minimizando o risco de uma perfuração abdominal.
“Quando eu estava de costas para o pátio, contando as folhas das provas, a bomba explodiu. O barulho foi enorme, fiquei tonta, e sem entender de onde tinha vindo quando percebi que minha roupa e a bolsa pegavam fogo. Não posso acreditar que pessoas com quem eu convivi o ano inteiro tenham feito isso comigo. Mais do que os machucados, o que me dói é a impotência. Estou assustada, amedrontada, mas também me perguntando o que fiz de errado”, disse a professora, de 31 anos, que há quatro leciona na rede de ensino.



A direção da escola acredita que identificou o núcleo de onde pode ter saído o criminoso. Neste último semestre, foram transferidos para a unidade alunos de outras escolas estaduais do Alcântara, Laranjal e Jardim Miriambi. Segundo os professores, alguns mal conseguem ler e, os que sabem, não interpretam textos. Anteriormente não havia registro de qualquer violência na instituição. Em 24 de novembro, no entanto, quando aconteceu um apagão na escola, os alunos do turno da noite fizeram um ‘corredor polonês’ agredindo colegas, depredando o patrimônio do colégio e apedrejando o carro de uma professora.



A direção se reuniu na quinta-feira (10) com a Coordenadoria da Secretaria Estadual de Educação de São Gonçalo e cogita acabar com as aulas do turno da noite.“Tenho fé que alguém vai denunciar. A maioria dos alunos, que é de adultos e idosos, não pode ser prejudicada. Considero quem fez isso um bandido, não um aluno. Como machucou também poderia ter matado a professora, que sempre foi extremamente amável e atenciosa com eles. Vamos pedir para acabar com este turno, mas se houver a denúncia, repensaremos a decisão”, disse a diretora Neusa Ribeiro da Silva.



A escola possui cerca de mil alunos. No turno da noite são 230. O caso está sendo investigado por agentes da 74ª DP (Alcântara), que vão chamar os alunos das turmas envolvidas para depor.


Fonte: Aqui

11/12/2009

Rede Municipal do Rio de Janeiro- Imprimam aqui o abaixo-assinado




Professores da rede municipal do Rio participantes do COC de dezembro: imprimam aqui o abaixo-assinado que exige a revogação da Resolução 1048 (volta da aprovação automática).

Para imprimir clique AQUI

Ou AQUI



10/12/2009

Computador não melhora a educação


Reproduzido do Estado de S.Paulo, 6/12/2009



"Não há nenhuma prova de que o uso de computadores na escola primária melhora a qualidade da educação, assim como não há nenhum fundamento na ideia tantas vezes divulgada de que o projeto denominado Um Laptop por Criança (OLPC, na sigla em inglês) possa fazer uma revolução no ensino. É puro modismo."


Essas palavras são de ninguém menos que Nicholas Carr, escritor renomado e especialista em tecnologia da informação (TI), em entrevista exclusiva ao Estado, concedida quarta-feira (2/12), em São Paulo.


Para ele, muitos pais e professores têm essa ilusão de que o computador poderá tornar seus filhos mais inteligentes e acelerar sua aprendizagem. Os jovens devem, é claro, aprender a usar o computador, mas como ferramenta de mil utilidades.


Sobre uma entrevista que concedeu à revista norte-americana Atlantic, de julho-agosto de 2008, em que teria afirmado que o Google está tornando os usuários menos inteligentes, Nicholas Carr retifica: "A revista destacou apenas um aspecto. O que afirmei foi que o uso excessivo da internet e, em especial, do Google, está tornando as pessoas cada dia mais estúpidas, por causa, principalmente, da perda da capacidade de reflexão que decorre da falta de leitura de livros e jornais".


Leia mais AQUI


Os segredos da Finlândia


Os motivos que levam a educação do país a ser uma das mais reconhecidas do mundo. E os problemas que a aproximam de outras nações


"Não!", interrompeu Alfons Tallgreen, 13 anos, ao ouvir que o finlandês, sua língua materna, tinha raízes semelhantes às da língua russa. "O estoniano, o húngaro e o finlandês são línguas correlatas. Aconteceu assim: primeiro, o finlandês começou a ser usado no sul da Finlândia e, aos poucos, foi ganhando o norte do país", conta o menino ruivo, aluno da 7ª série da Itäkeskus, em Helsinque, capital da Finlândia. Apesar de já conhecer a história de sua língua, Alfons quer, no futuro, estudar as propriedades de plantas e micro-organismos. Pausadamente, explica que sua vontade inicial era ser dentista - a mãe o demoveu da ideia. Porém, já estava interessado em biologia nessa época. "Estava pesquisando a floresta aqui do lado da escola. Mas infelizmente as árvores serão cortadas para a construção de casas de madeira no lugar", diz.


A escola em que Alfons estuda tem o foco específico em línguas. Ali, os alunos têm a opção de estudar diversos idiomas. É o caso de seu colega, Muaad Hussein, cuja família tem ascendência libanesa. Com a mesma idade de seu colega, o menino já conhece cinco línguas: árabe, sueco, italiano, francês e finlandês, além de entender também um pouco de espanhol. "É claro que nem todos os alunos se interessam assim. Alguns não querem nem ouvir os professores. Não pensam no futuro", desabafa. Muaad tem razão. Ali, na Finlândia, os meninos e meninas são iguais a todos os outros no mundo: não gostam de escola, adoram o videogame, o computador, andam de skate em praças e passeiam em grupos pelos shoppings. O que leva, então, o país a ser sucessivamente o primeiro colocado nas avaliações do Pisa? Na última edição, que avaliou ciências, a média finlandesa foi de 563 - o Brasil alcançou 390 (52º de 56 países).


Leia mais AQUI





06/12/2009

FURA-GREVE E PELEGOS



Sindicato Estadual dos profissionais da Educação do Rio de Janeiro.
NÚCLEO BARRA MANSA / RIO CLARO
Rua: Rio branco 35/209 – Centro – Barra Mansa.
Tel: (24) 3322-3300- sepebarramansa@ig.com.br



Barra mansa, 28 de novembro de 2009.

Prezados.


Eu, Paulo César de Souza, diretor da Secretaria de Funcionários e Aposentados do NÚCLEO BARRA MANSA e RIO CLARO, venho através deste fazer novamente a denúncia de 3 diretores aqui do NÚCLEO, que furaram greve, sou eu quem mais visito as escolas por ter disponibilidade, estou sendo cobrado por profissionais que aderiram totalmente a greve e tiveram descontos significativos em seus contracheques, enquanto diretores do NÚCLEO que deveriam estar conscientizando e mobilizando a categoria, simplesmente não aderiram a greve e continuam como direção do SINDICATO. Em razão desta situação estou enviando o nome dos mesmos e solicitando que seja tomada uma providencia pela direção CENTRAL, obedecendo o nosso ESTATUTO para que possamos encaminhar tal decisão a categoria. Afinal somos um SINDICATO sério e não queremos ser desacreditados por aqueles que nos confiaram seu voto.


NOME DOS "FURA-GREVE.


Robson Correa de Melo - Sec. Jurídico - CHAPA 1
Nei Araujo Cavalcante - Sec. Formação- CHAPA 1
Eledir Martha Oliveira - Sec. Finanças - CHAPA 1


Paulo Cesar de Souza.




05/12/2009

CONCURSO MAGISTÉRIO - ESTADO DO RIO





A Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) está com inscrições abertas em seu concurso, que visa ao preenchimento inicial de 5.481 vagas no cargo de professor I (do 6º ao 9º ano e ensino médio). Os vencimentos iniciais são de R$732,69, para jornada de trabalho de 16 horas semanais. Com a gratificação do Nova Escola, o professor referência um vai acrescentar R$100 ao seu vencimento-base.


Já os demais receberão uma incorporação de acordo com a sua referência, com acréscimo de 12% sobre cada nível. Das oportunidades, 5.387 são para professor da Educação Básica e 94 para a Educação Profissional, distribuídas por diversos municípios.


Tendo em vista que já está autorizado o preenchimento de 10 mil vagas, o superintendente de Gestão de Pessoas, Marcus Medina, garante que os 6 mil primeiros colocados serão chamados de imediato, a partir de março (embora o edital traga a oferta de 5.481 vagas).


As demais 4 mil oportunidades serão utilizadas de acordo com a necessidade da secretaria, durante a validade da seleção, de dois anos, prorrogável por igual período.


Para participar, é preciso comprovar licenciatura plena na disciplina escolhida e registro no conselho de classe. Para os professores da Educação Profissional será aceito, também, diploma de curso superior. Os interessados têm até o próximo dia 18, nos postos de atendimento, e dia 20, pela internet, para realizar inscrição.


Para isso, é preciso acessar o site da Fundação Ceperj, organizadora,preencher o formulário e imprimir o boleto para pagar a taxa de R$35, em qualquer agência bancária (preferencialmente no Itaú). Na ocasião, o candidato deve optar pela disciplina, município/pólo e tipo de vaga (regular ou portador de deficiência).


Quem não tem acesso à internet pode se inscrever na sede da fundação ou nos postos disponibilizados nas coordenadorias regionais. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 10 às 16 horas.


Leia mais e consulte os editais clicando AQUI.









27/11/2009

PAULO FREIRE PERDOA O BRASIL

Declarada a anistia ao educador Paulo Freire, com pedido de perdão



Em julgamento nesta quinta-feira, 26, durante o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, foi declarada a anistia do educador Paulo Freire. A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, que analisou o requerimento feito pela viúva Ana Maria Freire, em 2007, sob a ótica da perseguição política sofrida pelo educador à época da ditadura, também pediu desculpas pelos atos criminosos cometidos pelo Estado.

“Esse pedido de perdão se estende a cada brasileiro que, ainda hoje, não sabe ler sua própria língua”, disse o relator do processo, Edson Pistori. Para ele, a perseguição a Paulo Freire pela ditadura se traduz no impedimento à alfabetização de milhares de cidadãos e, principalmente, à conscientização de cada um deles sobre a própria condição social.

Paulo Reglus Neves Freire nasceu em Recife, em 1921, e morreu em São Paulo, em 1997. Ficou conhecido pelo empenho em ensinar os mais pobres e se tornou uma inspiração para gerações de professores. Freire desenvolveu um método inovador de alfabetização, a partir de suas primeiras experiências, em 1963, quando ensinou 300 cortadores de cana a ler e a escrever em 45 dias. O educador sofreu perseguição do regime militar (1964-1985), ficou preso por 70 dias e foi exilado por 16 anos, considerado traidor.

Em 1967, durante o exílio, no Chile, escreveu o primeiro livro, Educação como Prática da Liberdade. Em 1968, publicou uma de suas obras mais conhecidas, Pedagogia do Oprimido. Freire retornou ao Brasil em 1980, com a anistia que permitiu o retorno dos exilados, e foi nomeado secretário de educação da cidade de São Paulo, cargo que exerceu até 1991.

“Resolvi fazer o requerimento para resgatar a cidadania de meu marido e atestar que ele é um verdadeiro brasileiro. Assim como muitos, ele lutou por um Brasil mais bonito e mais justo”, disse Ana Maria Freire. A reparação econômica concedida pela comissão de anistia à viúva de Paulo Freire será de 480 salários mínimos, não excedendo o teto estipulado de R$ 100 mil, pagos em parcela única.

Comissão — A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça existe desde 2002. Até agora, 64 mil requerimentos com pedido de anistia foram protocolados. Destes, 47 mil foram julgados — 30 mil deferidos, 12 mil dos quais com reparação econômica, além do pedido oficial de desculpas do Estado.

Para revelar à população de todo o país os fatos arbitrários praticados durante o regime militar e pedir desculpas, publicamente, às pessoas que resistiram à ditadura e sofreram os atos de violação dos direitos humanos feitos pelo Estado, a comissão criou a Caravana da Anistia. Desde 2008, o projeto visitou 16 estados e está na 31ª edição. Mais de 500 processos já foram julgados.

O projeto é realizado por meio de parceria entre a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, o Instituto Paulo Freire, o Ministério da Educação, as comissões de educação da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), a Associação dos Juízes para a Democracia, o Instituto Catarinense de Aprendizagem e Educação Infantil (Icae), o Movimento dos Sem-Terra (MST), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e a Associação Brasileira de Ensino do Direito (Abedi).

No Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que será encerrado nesta sexta-feira, 27, há também uma exposição fotográfica sobre Paulo Freire.

FONTE AQUI

23/11/2009

SIM, EU POSSO

Brasil e Cuba assinam acordo na área de Educação



Foi firmado na última segunda-feira, 29, durante encontro do ministro da Educação, Fernando Haddad, com o embaixador cubano no Brasil, Pedro Nuñez Mosquera, um acordo de cooperação na área educacional. Haddad entregou ao embaixador uma carta para o ministro da Educação de Cuba, onde afirma a intenção de utilizar o programa de alfabetização cubano Yo si puedo (Sim, eu posso) em um projeto-piloto de alfabetização nos municípios piauienses de Murici dos Portelas, Caxingó e Buriti dos Lopes.



Na carta, Haddad informa que o treinamento dos alfabetizadores brasileiros para o projeto-piloto, com duração de cinco meses e meio, terá início em 3 de outubro próximo e o das classes de alfabetização, em 17 de outubro. Inicialmente, serão atendidos 100 jovens e adultos.



O acordo de cooperação integra parte do protocolo de intenções firmado em setembro de 2003 entre os governos dos dois países para a cooperação internacional de alfabetização de jovens e adultos. Um especialista cubano prestará assessoria técnica na implementação do programa, que será supervisionado pelo MEC.



A aplicação do método no contexto brasileiro prevê a adaptação do material didático cubano ao universo vocabular e cultural dos alfabetizandos brasileiros. A proposta metodológica é constituída de encontros presenciais, em que o processo de ensino-aprendizagem é mediado pela utilização de tecnologias, como aparelhos de TV e vídeo.



A aprendizagem ocorre pela correspondência entre números, letras, bichos e cadeias causais de associação. Também são utilizados vídeos metodológicos que orientam os monitores a conduzir o encontro para que os alfabetizandos aprendam com mais facilidade. O material audiovisual é composto por 17 fitas em VHS, nas quais estão distribuídas 65 videoaulas, que totalizam 32,5 horas de gravação. A videoaula de cada encontro tem a duração de 30 minutos.



O programa cubano de alfabetização foi elaborado pelo Instituto Pedagógico Latinoamericano y Caribeño (Iplac), de Cuba, com a finalidade de erradicar o analfabetismo da America Latina. O método já é usado no Haiti, Argentina, Venezuela, Nicarágua. Neste ano, está sendo implantado na República Dominicana com a finalidade de alfabetizar 600 dominicanos no prazo de seis meses.






20/11/2009

EDUCAÇÃO - CONCURSO MACAÉ

Educação de Macaé: saiu concurso para 255 vagas




Boa oportunidade para os interessados em ingressar na área educacional: saiu concurso para a Prefeitura de Macaé, destinado ao preenchimento inicial de 255 vagas. Há oportunidades para professor, supervisor escolar, orientador pedagógico e orientador educacional, com exigência de curso normal/médio ou nível superior. As inscrições já estão abertas, prosseguindo até o próximo dia 27, pela internet e nos postos.


Os habilitados serão contratados pelo regime estatutário, o que garante estabilidade profissional. Os vencimentos variam entre R$983,74 e R$2.017,40, conforme o cargo pretendido.


Para concorrer, é preciso acessar o site do Instituto Nacional de Concurso Público (INCP), preencher um formulário e imprimir o boleto referente à taxa, de R$35 ou R$60, de acordo com a função. Aqueles que optarem pela inscrição presencial têm até as 16 horas do último dia para participar (exceto sábados, domingos e feriados).


Os pedidos de isenção serão aceitos até esta quinta-feira, 19, podendo concorrer os inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).


A seleção constará de prova objetiva, marcada para o dia 20 de dezembro. De acordo com a subsecretária de Educação de Macaé, Rose Salgado, o curto espaço de tempo entre a abertura das inscrições e a aplicação das provas se deve ao fato de que o concurso visa à substituição de profissionais temporários, cujos contratos terminam no dia 31 de dezembro. Ainda de acordo com ela, a expectativa é que os concursados ingressem no dia 1º de fevereiro.


*Etapas* - Serão propostas 50 questões, sendo 15 de Língua Portuguesa, 10 de Legislação (LOM), 25 referentes ao conteúdo específico da área, fundamentos da educação e legislação educacional. Além disso, haverá avaliação de títulos. A validade do concurso é de um ano, podendo ser prorrogada por igual período.

*Inscrição online* - Cloque AQUI


*Inscrição presencial -* Funemac- (Complexo Universitário) - Rua Aluísio da Silva Gomes, 50, Granja dos Cavaleiros, Macaé/RJ;

Telecentro – Rua Teixeira de Gouveia, 634, Centro, Macaé/RJ; Rua Dr. Álvaro da Paixão
Júnior (Rua 5), 355, Parque Aeroporto, Macaé/RJ.


LEIA O EDITAL DE ABERTURA CLICANDO AQUI


FONTE: FOLHA DIRIGIDA



14/11/2009

LEITURAS DA FOLHA - O JORNAL DA "DITABRANDA".

Uma página para a educação



Por Gabriel Perissé em 10/11/2009



"Saber" é o título escolhido pela Folha de S.Paulo para a página semanal que destinará à educação. A página estreou na segunda-feira (9/11). Além da educação, pretende abordar temas ligados "à expansão do conhecimento em diferentes fases da vida e faixas etárias", como noticiou um dia antes.



A primeira matéria, dedicada aos "7 mitos na educação", recai no equívoco de olhar isoladamente várias soluções para a educação, definindo sua "verdade" ou sua "mentira", sem admitir (ou até, o que é mais astuto, fingindo admitir) que o problema educacional é realmente complexo, sistêmico, e requer, portanto, visão abrangente.



O "mito" número 1, tal como é formulado – "Só pagar melhor o professor já melhora o aprendizado", enfatiza o advérbio "só", a fim de desmontar as reivindicações salariais da categoria. Referindo-se a "pesquisas" que, em geral, são realizadas por economistas do estilo de Naércio Menezes Filho e Gustavo Ioschpe, a jornalista que assina a matéria, Fabiana Rewald, tira a importância do problema e, por tabela, descarta a solução.



Aliás, salário deixa de ser problema. O fato de a média salarial docente no Brasil ser de R$ 850,00 não comove os economistas, que, supõe-se, bem entendem a diferença que alguns reais fazem no bolso... Não comove os economistas e, pelo visto, nem os jornalistas.



O "mito" número 5 "Gastar mais com educação é suficiente para aumentar o aprendizado dos alunos" – volta a praticar o reducionismo. A expressão "é suficiente" permite relativizar a necessidade de mais investimento.



Amargo saber



Os outros "mitos" vão desenhando, por contraste, uma outra linha de soluções. O "mito" número 2 questiona "facilidades" como piscina, teatro e recursos tecnológicos avançados. Para quê? O "mito" número 3 põe em xeque os "cursos de reciclagem": são teóricos demais. O "mito" número 6 insinua que os problemas familiares não são tão decisivos assim e que as escolas (ou seja, os professores) deveriam dar conta do recado perfeitamente.



O amargo "Saber" reserva dois "mitos" para a progressão continuada e os sistemas de ensino apostilados. No caso do "mito" número 3, a conclusão é que não há grande diferença entre os resultados de aprendizagem no regime de progressão continuada ou no seriado. Tanto faz!



Mas o último "mito", o de número 7, é diferente: "Sistemas de ensino apostilados tolhem a autonomia do professor." É este, enfim, o principal mito a desmontar urgentemente. Apoiada nos estudos de Paula Louzano, a matéria defende, no fundo, que os municípios adotem métodos como os propostos pelo COC, Anglo, Objetivo, Positivo... Uma vez que os professores não sabem ensinar, tornem-se "aplicadores" de receitas já definidas. Para que livros didáticos? Para que projetos pedagógicos? Mitos... mitos...



FONTE: AQUI